Imprimir

Informações importantes para as crianças, cujas...

Informações importantes para as crianças, cujas mães têm Cancro da Mama.

 

Informações importantes para as crianças, cujas mães têm Cancro da Mama.

O_que_se_passa_com_a_mae

Se a tua mãe tem cancro de mama, é natural que sintas muitas dúvidas sobre o que acontecerá com ela e com a tua família. Podes ficar preocupado, triste e até zangado com a doença. Uma maneira de lidar com as tuas preocupações é saber exatamente o que está a acontecer com a tua mãe e como a doença pode afetá-la.

Aqui estão alguns factos importantes sobre o cancro da mama e sobre os efeitos possíveis na tua mãe e na tua família:

  • O cancro não é contagioso. O que quer dizer que o cancro de mama da tua mãe não vai contagiar alguém da família.
  • Quando uma mulher tem cancro de mama não significa que ela vai morrer. Isto também se aplica à tua mãe! Hoje em dia há muitos tratamentos para o cancro que tratam a doença e ajudam a tua mãe a sentir-se melhor. Muitas mulheres vivem uma vida longa e feliz depois do cancro da mama.
  • Existem várias maneiras de tratar o cancro da mama. A tua mãe provavelmente terá que ir ao hospital com frequência para receber tratamentos. Se tiveres dúvidas e quiseres saber mais sobre o tratamento da tua mãe, não tenhas medo de perguntar. Podes até acompanhá-la ao hospital e conversar com as pessoas que a tratam.
  • Os tratamentos do cancro da mama podem deixar a tua mãe cansada e doente durante algum tempo. Ela pode precisar de descansar mais ou de não ser capaz de fazer tudo o que costuma fazer. Isto não significa que os tratamentos não estão a funcionar. Também não significa que a tua mãe não vai voltar a cuidar de ti. Significa apenas que para melhorar a tua mãe precisa de descansar mais e de mais ajuda do que era habitual. Por isso ajuda-a.
  • Os tratamentos do cancro da mama podem fazer com que a tua mãe pareça diferente. Pode cair-lhe o cabelo ou parecer muito magra ou pálida. Isso não significa que os tratamentos não estão a fazê-la melhorar. Quando os tratamentos terminarem, o cabelo da tua mãe voltará a crescer e ela ficará saudável novamente.
  • A tua mãe pode ficar mais triste com a doença e até chorar às vezes. Não quer dizer que ela está a ficar pior, apenas que está cansada e triste por causa dos medicamentos e dos tratamentos. Podes ajudá-la a não ficar assim, faz-lhe mais companhia, conversa com ela e dá-lhe mais atenção.

​Como pode ajudar a sua mãe após a cirurgia da mama?

A tua mãe acabou de fazer uma cirurgia de cancro da mama, e todos da família estão muito felizes porque ela vai para casa para recuperar. Mas a tua mãe não deve conseguir recuperar o seu comportamento habitual imediatamente. Ela pode sentir-se cansada ou triste e pode precisar de mais ajuda tua e de toda a família do que o normal. Aqui estão algumas coisas que podes fazer para ajudar a tua mãe enquanto ela está a recuperar de uma cirurgia:

Abraça-a e diz-lhe que gostas muito dela. Se ela está deitada na cama, podes sentar-te ao lado dela e segurar-lhe a mão. Não é preciso dizer nada, sentir o teu amor é a coisa mais importante para a tua mãe.

Se a tua mãe se sentir cansada, aproveita para ficar ao pé dela a ver TV, ou a ler. Só estares ali com ela já pode ajudar a tua mãe a sentir-se melhor.

Conta à tua mãe como correu a escola e as coisas engraçadas e divertidas que fazes com os amigos. Se ela não estiver muito cansada, aproveita para fazerem alguma coisa juntos, como fazer um desenho ou pintar um livro de colorir, ou ver as fotos da família. Assim, ela vai sentir que nada mudou na tua rotina e que ela continua a fazer parte da vida da família.

Oferece ajuda à tua mãe, pergunta o que é que ela precisa. Mesmo que seja só levar-lhe uma bebida ou arrumar o quarto pode ser uma grande ajuda.

Também podes fazer desenhos e oferecer à tua mãe, ou um cartão ou qualquer outra coisa que lhe faça sentir como é importante para ti e a anime e dê força para se curar mais depressa.

Como responder às perguntas dos teus amigos sobre o cancro da mama da tua mãe?

Os teus amigos provavelmente vão fazer-te perguntas a que não tens vontade de responder. Mas lembra-te que os teus melhores amigos só querem ajudar e que falar com eles pode fazer-te bem.

Aqui estão algumas perguntas que eles te podem fazer e algumas ideias de como lhes responder:

Pergunta : O que se passa com a tua mãe?

Resposta : A mamã tem uma doença chamada cancro da mama. Está a fazer tratamentos que a fazem sentir-se mal. Eu ajudo-a a sentir-se melhor.

Pergunta : Tu também estás doente?

Resposta : Não, não estou doente e na minha família não está mais ninguém doente. O cancro não é contagioso. Não é como uma constipação ou uma gripe. A minha mãe não ficou contagiada por outra pessoa, nem pode passar a doença para outra pessoa. Tu também não vais ficar doente mesmo que venhas a minha casa.

Pergunta : E os teus amigos podem ir à tua casa?

Resposta : Às vezes não podemos fazer barulho quando a mamã não se sente bem, temos que ficar calados e, nesses dias não será boa ideia. Mas a minha mãe quer que eu brinque com os meus amigos, por isso podemos jogar em casa ou fazer coisas divertidas juntos como sempre fizemos.

Pergunta : A tua mãe vai morrer?

Resposta : Não é porque ela tem cancro de mama que ela vai morrer. A minha mãe está a fazer tratamentos que a vão ajudar a livrar-se do cancro para que ela possa melhorar e viver mais.

 

Informações importantes para mães com cancro de mama

A maneira como fala com os seus familiares e amigos sobre o cancro vai depender muito do tipo de relação que tinha com eles antes do diagnóstico. Algumas mulheres têm famílias muito unidas que as ajudam durante o tratamento. Outras têm relações tensas e só conseguem partilhar informações com algumas pessoas. Só você sabe como pode abordar este tema com os membros da sua família dum modo confortável para si.

A maneira como fala com os seus familiares e amigos sobre o cancro vai depender muito do tipo de relação que tinha com eles antes do diagnóstico. Algumas mulheres têm famílias muito unidas que as ajudam durante o tratamento. Outras têm relações tensas e só conseguem partilhar informações com algumas pessoas. Só você sabe como pode abordar este tema com os membros da sua família de um modo confortável para si.

As crianças podem levantar preocupações muito diferentes, o que pode ser difícil para muitas mulheres. O que diz aos seus filhos e como fala com eles sobre o cancro, pode afetar o seu relacionamento com eles. A maioria de nós conhece crianças que são curiosas e não têm medo de fazer perguntas embaraçosas que a maioria dos adultos não ousaria perguntar. Este comportamento mostra que as crianças percebem que algo está a acontecer e tentam entender os problemas complexos ao seu redor. Se perdeu o cabelo ou está a sentir-se mal, as crianças perceberão e perguntarão o motivo. Se você parecer diferente do que eles conheciam ou dos outros adultos que eles conhecem, ou se você tiver uma limitação física como resultado do cancro, eles também farão perguntas sobre isso. 

Pode ser importante perceber de que modo a maioria das crianças aborda e compreende a ideia de cancro, especialmente quando um dos pais tem, e como lida com isso. A capacidade de uma criança de compreender a sua doença e o tratamento, geralmente depende da idade dela. 

As crianças pequenas, entre 4 a 7 anos, percebem apenas noções concretas - o que vêem, tocam, ouvem ou experimentam. As suas perguntas poderiam ser "O que é isso?" (apontando) - ou "Tens dores?" Estas crianças também expressam sentimentos de forma concreta através das ações. Por exemplo, uma criança do jardim de infância trouxe à mãe um penso-rápido quando a viu chorar após o tratamento de quimioterapia. Por outro lado, não é porque as crianças desta idade não sabem expressar a sua preocupação que são emocionalmente inconscientes. Muitas vezes, a angústia é expressa fisicamente, com perda de apetite, enurese, dificuldade em dormir, ter pesadelos ou começar a bater nas outras crianças. Se estes comportamentos persistirem por mais de duas semanas, pode ser aconselhável falar com um psicólogo infantil. 

As crianças em idade escolar, entre 6 e 12 anos, podem compreender e identificar-se com experiências das quais não participam diretamente e conseguem traduzir e compreender o significado dos acontecimentos. Por exemplo, se a mãe começa a ir ao hospital frequentemente, para estas crianças isso significa que ela está muito doente. As crianças também são mais conscientes socialmente nesta idade e podem sentir relutância em expressar preocupação por medo de perturbar os pais. É importante perguntar com frequência se têm dúvidas ou estão preocupadas – assim a criança vai entender que pode falar abertamente sobre o que sente ou o que a preocupa. No entanto, crianças nesta faixa etária também podem manifestar a preocupação através de comportamentos alterados, tal como as crianças mais jovens.

Existe uma regra universal para falar com as crianças sobre assuntos sérios - basta responder diretamente á pergunta que a criança faz, sem ficar a pensar que é preciso dizer mais do que isso. É muito mais fácil para a criança compreender a informação que recebe, se for objetiva e reduzida ao essencial.

Os adolescentes têm reações mais complicadas à doença da mãe. Numa fase em que querem encontrar independência, a preocupação com a saúde dos pais leva-os a ficar mais próximo da família, apesar da importância que o grupo de amigos tem para eles. O medo da perda de um dos pais torna-se forte, nesta idade, pelo facto de conseguir reconhecer o pai e a mãe como indivíduos. Por outro lado, os adolescentes também são capazes de grande intimidade, intensidade e compreensão. Como sabem o que significa enfrentar a perda de um ser que amam, tornam-se disponíveis para falar sobre os seus sentimentos.

Os filhos adultos podem apresentar diferentes desafios e preocupações, que não são menos importantes ou emocionais por natureza. Muitos filhos adultos de pacientes com cancro fornecem apoio real e são muito carinhosos quando um dos pais tem cancro da mama. No entanto, para as filhas mulheres, o diagnóstico de cancro da mama da sua mãe pode ser particularmente difícil pois representa um risco aumentado de elas próprias contrairem cancro. 

Contudo, o melhor que pode fazer, é ser sempre honesta e verdadeira, partilhar os seus próprios sentimentos e ajudá-los a aprender consigo.